Histórias e mais histórias

Furto na casa do vizinho!

Na sexta-feira da semana passada recebi um email da associação de moradores do pequeno bairro onde moro, o qual me causou um certo desconforto e preocupação. Antes, apenas um esclarecimento: não moro em condomínio fechado como muita gente pensa; condomínios fechados podem ser comuns na Flórida, mas em cidades tipicamente americanas é difícil existirem. Portanto, moro em um bairro comum, ok? Talvez o único ponto de “condomínio” é que pagamos uma quantia de 50 dólares para a manutenção da vizinhança.

Mas voltando lá ao assunto do email que recebi da associação de moradores. O conteúdo informava que ladrões entraram numa das casas do bairro na quinta-feira, às 15h00. Não havia ninguém na casa. Os moradores haviam deixado a porta da garagem ligeiramente aberta para que o cachorro pudesse entrar, e foi por ali que os ladrões entraram. Já dentro da garagem, arrombaram a porta que dá acesso ao interior da casa, momento em que o alarme soou. Mesmo assim, conseguiram levar uma caixa de joias. A empresa de alarmes acionou a polícia e uma investigação está sendo realizada. Eis a mensagem original, em inglês:

furto

Isso é muito raro acontecer por aqui, até porque é um bairro tranquilo. Mas realmente esse tipo de crime de invasão de residência com a finalidade de furto (“burglary“) pode acontecer e não precisa nem ir muito longe pra encontrar os criminosos. É claro que a investigação ainda está em andamento, mas um crime desses em plena quinta-feira às 15h00 parece ser um “crime of convenience”, ou seja, um crime onde a ocasião faz o ladrão. De repente, passaram por ali, viram a porta da garagem aberta e decidiram entrar… ou então foi alguém que sabia que não haveria ninguém em casa. Enfim… Felizmente, são pequenas subtrações sem violência.

Mas a questão da investigação é bastante interessante. Hoje, ou seja, exatamente uma semana após o crime, eu estava caminhando por lá e vi a área isolada por fitas amarelas que diziam “CAUTION” (cautela, cuidado). O isolamento era apenas na área da entrada da garagem. Tirei algumas fotos para vocês verem:

furto

furto

furto

Faz com que nos sintamos num seriado de CSI, não faz? 🙂

O isolamento é necessário porque num crime de furto não há testemunhas, então os investigadores têm que trabalhar duro na coleta de provas físicas, como, por exemplo, impressões digitais e marcas das solas dos calçados. O local de entrada é a área de maior movimentação do crime, portanto, deve ser isolado para a coleta dessas provas. Obviamente não tivemos acesso ao interior da casa, mas com certeza a porta interior que foi arrombada também deve estar isolada por fitas para que os próprios moradores evitem acessar a área.

Bom, caso eu fique sabendo do desenrolar das investigações, prometo atualizar este post com as novas as informações. Por enquanto, fica a pulga atrás da orelha por não sabermos o que aconteceu, assim como o lembrete de termos cuidado redobrado. Não é porque estamos nos Estados Unidos que crimes não acontecem, certo? Quem pensa diferente, pensava errado.

Kisses pra vocês.

Compartilhe

You Might Also Like

3 Comments

  • Reply
    Luísa
    30/10/2015 at 19:52

    Carol, to impressionada como as coisas funcionam por aí…
    Imagina se aqui no Brasil alguém vai parar pra coletar evidências em um crime mais simples. Não têm recursos nem pra tratar de assassinatos!
    Posso te garantir que mesmo com um susto desses daí, você está numa situação muito melhor que por aqui. Basta reparar que aí as residências não tem muros…

    Beijos grandes! Adoro seus posts!

  • Reply
    Quase invadiram a minha casa! | Descobri a América!
    23/08/2016 at 14:38

    […] honesta, essas placas e adesivos não chegam a impedir roubos e furtos não, vide o post “Furto na casa do vizinho“. Resumo da ópera: EU ACHO que ele me viu pela janela, pensou ser presa fácil por […]

  • Leave a Reply