Cultura Americana

Como são os americanos, segundo brasileiros nos EUA

Como são os americanos? Quando estamos no Brasil, não sabemos muito sobre eles e nossa opinião vai se formando a partir do que nos contam, do que vemos nos jornais (que de imparciais não têm nada), etc., e tal. Muitos acabam tendo a impressão de que os americanos acham que são os donos do mundo e melhores que as outras pessoas, são frios e não querem se misturar, têm preconceito contra imigrantes, são mal educados e não te olham se te virem na rua… Quando nos damos conta, está criado um certo antiamericanismo. Mas, e quando você tem a oportunidade de conviver com eles quase todos os dias e sentir como são de verdade, construindo a sua própria opinião? Será que muda alguma coisa?

Vamos saber abaixo o que pensam alguns brasileiros que residem nos Estados Unidos.

Pergunta: como descreveria os americanos? Sua opinião sobre eles mudou desde que veio morar aqui?

“Não temos muito contato com americanos em Miami (eles são poucos, mas existem), mas a impressão que tenho pelos que conheço e convivo é que por aqui eles acabam absorvendo um pouco essa nossa cultura mais latina de ser, mas realmente não tenho como opinar muito. Percebo sim um interesse deles em entender mais da nossa cultura, da forma de ser, pensar e agir, possivelmente até para poderem interagir melhor com a população latina dominante por aqui.” (Felipe – Miami, Flórida)

“Quanto aos americanos, de modo geral, desde que vim morar aqui, minha opinião sobre eles mudou um pouco, para melhor. Dentre todos os povos que moram nesta região (e há muita diversidade), me parece que o americano é o mais simpático e respeitoso de todos. Sinceramente pensei que poderia encontrar algum tipo de preconceito com estrangeiros, porém acho que como esta é uma região repleta de imigrantes, isso já faz parte da cultura local. Sempre fomos tratados igualmente e nunca vimos qualquer forma de preconceito ou retaliação. O americano é bastante fiel aos seus costumes e hábitos, porém sempre lhe chama para se juntar a ele. É verdade que também vão direto ao ponto numa conversa, mas isso não significa que são ásperos e sim que valorizam seu tempo!” (João – Foster City, Califórnia)

“Os americanos são bem diferentes. Uns são um tanto brazucas como o meu marido, por exemplo. São engraçados e abertos a outras culturas. Outros são fechados e não gostam muito de se misturar com culturas diferentes. Mas, em geral, os americanos são legais.” (Cris Maxwell – Redlands, Califórnia)

“Os americanos são super solícitos, muito bem educados e simpáticos, no sentido de, se você cruzar com alguém na rua praticando um esporte, a pessoa vai te dizer ‘bom dia’ e sorrir.” (Renata – Orlando, Flórida)

“Os americanos são exemplo de civilização, cultura e educação. Respeitam não somente as leis como também o direito das outras pessoas. Antes pensávamos que eram chatos e sérios demais, mas isso realmente é um preconceito nosso, pois a grande maioria é gentil e suuuper educada. Admiramos os americanos. Claro que pessoas ruins ou inconvenientes existem, mas essas existem em qualquer lugar.” (Fabiane – Orlando, Flórida)

“Antes de vir morar aqui, eu achava que os americanos eram muito fechados. Mudei minha opinião, pois cada pessoa é diferente e não importa a sua nacionalidade, a forma como cada um socializa depende muito mais da família do que de onde nasceu. Eu mantenho a minha opinião, porém, de que os americanos são extremamente organizados, no sentido de se vai ter uma festa, eles sabem exatemente a quantidade de pessoas, a comida necessária, o horário que começa e acaba. Por um lado é bom, pois ajuda muito a se preparar quando você está dando a festa, mas por outro lado eu meio que gosto do jeito brasileiro de aparecer com primo, sobrinho, vizinho, etc, na sua casa sem avisar nada. É mais descontraído.” (Gabrielle Schreiner – Seal Beach, Califórnia)

“Antes de vir, achava os americanos frios e mal educados. E, ao chegar aqui, meu pensamento mudou completamente. Eles são educados a ponto de te dar bom dia, perguntar como você está e te desejar um ótimo dia, e isso sem te conhecer! Eles sempre falam sobre o Brasil, Carnaval, Rio de Janeiro e caipirinha.” (Sabrina Mikaelly Moura Lima – Bridgeport, Connecticut)

“Minha opinião sobre os americanos mudou demais! Imagino que acontece com todo mundo… Pensava que era um povo frio, mas não posso reclamar: os colegas de trabalho do meu marido me receberam muito bem! São sempre atenciosos e gentis. Acho engraçado também como os americanos distribuem elogios até para desconhecidos: vira e mexe alguém comenta da roupa e do sapato que estou usando. Talvez porque meu estilo seja muito chamativo e as pessoas aqui não ligam para a aparência.” (Camila Vaz – Mount Vernon, Washington)

“Antes de vir para cá, eu não tinha opinião formada sobre os americanos e acabei descobrindo que eles são simpáticos ao extremo, educados e pontuais.” (Kécia Damásio – Newark, New Jersey)

“Quanto à minha opinião sobre os americanos, dependendo do lugar eles são diferentes. Assim como no Brasil que em cada estado o brasileiro é diferente, com suas culturas e características próprias, aqui os americanos diferem de acordo com o estado e a região. Vou falar dos americanos de Maryland, que são muito simpáticos e educados. Aqui tem muitos imigrantes, então os americanos de Maryland acabam sendo um pouco mais abertos. Mas percebo, sim, que eles tem uma coisa de se achar melhor que os outros, de sempre querer estar a frente em tudo, de que tudo o que vem deles é melhor do que dos outros países. Mas isso é da cultura deles, eu entendo. Minha opinião sobre eles mudou quando percebi que eles são bem mais fechados do que pensei e mais parados (desanimados), no sentido de não gostarem tanto de festa quanto a gente, e de que as festas têm hora pra começar e pra acabar. Também são bastante consumistas, mas bem generosos quando precisam (sempre doam as coisas das quais não precisam mais), sem falar que são muitos educados, sempre falam “obrigado” e “com licença” para tudo (chega até a ser chato às vezes).” (Beatriz Souza – Silver Spring, Maryland)

“Minha opinião sobre eles mudou muito desde que vim morar nos Estados Unidos. Somos educados nas escolas brasileiras a sempre ter uma pontinha de raiva dos americanos, sempre pensando que eles querem tudo, são frios, se acham os donos do mundo. Aqui no dia a dia aprendi que não são frios; apenas a cultura é diferente da nossa. Eles são unidos, a comunidade se ajuda muito, são patriotas. É claro que há exceções, mas a minha visão sobre eles mudou um pouco. Vi um lado que não conhecia quando estava no Brasil. Os americanos são bastante generosos e se ajudam entre si.” (Emma Pantoja – Cormack, New York)

“A maioria dos americanos com os quais tenho contato são EXTREMAMENTE educados. Bastante reservados (para nós, brasileiros, eles parecem meio frios), mas acho que dão valor à privacidade.” (Vanessa Inman – Lincoln, Illinois)

“Antes de chegar aqui, tinha a impressão de que os americanos eram todos meio grossos. Após quase 3 anos no país, vejo que não grossos e sim objetivos demais. Alguns americanos que conheço são até meio brasileiros de tão animados e friendly.” (Anna Clara Azeredo – Selden, New York)

“Minha opinião sobre os americanos mudou muito desde que vim morar aqui. Eu poderia ficar falando a tarde inteira sobre eles, mas, resumindo, são coisas que vocês devem saber:

  1. Eles são bastante diretos, mas não são grossos; eles são secos. Não são como os brasileiros que tomam cuidado para não machucar o próximo. Por exemplo, se você pergunta: “Você pode fazer tal coisa pra mim?”, ele vai responder “Não, não posso” e pronto. Não vai ficar dando explicações como o brasileiro faz: “Ah, então, rapaz, é que domingo vai ter o show da minha filha… Lembra a minha filha Catarina? Aquela que estava jogando futebol, blá, blá, blá”, contando uma história toda só para falar que não pode fazer a tal coisa. Aqui não; “não” é “não” e “sim” é “sim” e acabou. Ninguém se ofende por isso.
  2. Uma coisa que eu não gosto muito é que alguns são exageradamente patriotas. Ser patriota é você defender o seu país; beleza, bacana! Isso é gostoso. Eu sou patriota em relação ao Brasil, defendo o Brasil porque não acho que é um país ruim; é um país diferente. Nenhum país vai ser o melhor de todos, tenham isso em mente. Mas aqui isso chega a ser demais. Aqui às vezes você fala assim: “No Brasil temos a Amazônia”; e é capaz de você ouvir: “Então, porque aqui a gente tem o Lake Michigan, porque o Lake Michigan é muito grande, porque aqui não sei o quê…”. Nem todos os americanos são assim, tá gente? Mas muitos dão um jeito de fazer com que os Estados Unidos seja melhor, e não é bem assim.
  3. Os americanos não são muito amigos de todo mundo. Eles têm ali o grupinho de amigos deles e acabou. As pessoas são fechadas no mundinho delas, cada um vive por si, cada um pensa em si. É lógico que tudo aqui tem exceções, ok? Então acho que essas são as 3 coisas que vocês têm que ter em mente quando vierem pra cá.” (Tati Fazzio – Chicago, Illinois)

“Em relação à cultura americana e aos americanos, minha opinião nunca mudou. Eles possuem uma cultura diferente da cultura brasileira, a qual deve ser respeitada. Eu gosto do patriotismo americano e estou sempre tentando aprender sobre os costumes, tradições e sobre política. Eu acho importante entrar no ‘esquema’ de vida deles, afinal você vai precisar disso para, no mínimo, conversar com eles. Eu mantenho as tradições brasileiras na nossa casa e já incluí todas as tradições americanas no nosso dia a dia. Acho super divertido!

Os americanos são diretos e práticos no jeito de lidar com as pessoas e com as situações. Sentimentalismo não é muito o forte deles e eu gosto disso, principalmente no trabalho. Desde a primeira vez que vim para os EUA eu fui bem tratada pelos americanos (americanos nativos), mas conheço pessoas que sofreram discriminação. Cada estado americano é diferente e, em alguns lugares, os estrangeiros realmente não são bem vindos. Digamos que neste ponto eu tive muita sorte. Na Califórnia, convivi com muitos indianos e asiáticos, os quais são bem diferentes dos americanos. Mas aqui na cidade de Mill Creek eu convivo somente com americanos. Temos também casais amigos brasileiros morando em outras localidades da região metropolitana de Seattle e às vezes nos reunimos, curiosamente, para celebrar datas comemorativas americanas. 🙂” (Juliana Crestani – Mill Creek, Washington)

“Vim para os Estados Unidos achando que americanos eram todos frios, sem educação, que não davam atenção aos outros. Mas quando cheguei, ainda em Boston, vi que não era nada disso. Para mim, tudo o que as pessoas falam dos americanos no Brasil é mentira. Não acho eles frios. Claro que há cidades em que eles são um pouco mais diferentes, como no Brasil também as pessoas são diferentes dependendo da cidade. Minot é uma cidade do interior super longe de tudo; o pessoal é super educado, te trata super bem, não sabe o que fazer pra te agradar. Eles são assim: cada um tem a sua vida. Não é igual brasileiro que fica um enfiado na casa do outro. Mas tem americanos cujas crianças dormem umas nas casas das outras, igual brasileiro. Americanos querem te ajudar, não te criticam por você não falar a língua quando você chega aqui. Eu nunca fui criticada, nunca ninguém riu da minha cara. Já os brasileiros, quando você fala inglês errado, eles te criticam. Americanos sempre tentam te ajudar, ainda mais quando você limpa a casa deles (geralmente são pessoas de idade). Na Flórida, principalmente, são senhoras e elas sempre querem te ajudar. Desde que cheguei, vi que os americanos são pessoas educadas e prestativas. Claro que tem um ou outro que às vezes não gosta de imigrante, mas é muito raro. Creio que é porque não conhecem, têm uma visão errada do que somos nós. Mas vejo que a maioria é de pessoas educadas e que respeitam a gente.” (Flávia – Minot, North Dakota)

“Eu achava que americanos fossem rudes, mal educados e… bom, eu estava terrivelmente enganada! Eles são extremamente acolhedores e tratam você como família sempre! Eu não esperava que fosse ser tão bem recebida aqui. Achei que fosse ter muito preconceito (por ser latino americana) mas aqui tem gente de tudo quanto é canto (tem bastante filipino também). Americanos são “Jack of all trades” (eles fazem TUDO), consertam casa, carro, barco…” (Verônica – Anchorage, Alaska)

“A maioria das pessoas que moram na nossa região são pessoas que trabalham na indústria automobilística. Por causa disso também tem muitos estrangeiros por aqui. Eu percebo que as pessoas são muito tranquilas e as famílias são bem grandes, com uma média de 3 a 4 filhos por casal. Os americanos são muito patriotas e adoram demonstrar o orgulho que tem pelo seu país, o que se pode ver pela quantidade de casas ostentando a bandeira dos Estados Unidos do lado de fora e pela participação ativa da população em datas comemorativas, como no feriado de 4 de julho. Me dou bem com os americanos; depois que te conhecem eles são pessoas bem receptivas. Mas cada um cuida da sua vida. Percebi que, desde a infância, os americanos aprendem a ser bem independentes. Ninguém te julga pela roupa que você veste ou pelo carro que você tem. Como qualquer país, aqui há alguns hábitos e costumes diferentes dos nossos brasileiros, mas essa é grande experiência de se morar em outro país: o contato com outras culturas e formas de pensar e olhar o Brasil e nós, brasileiros, por uma outra perspectiva.

Então os americanos são ‘na deles’; não são como a maioria dos brasileiros que já chega abraçando e beijando uma pessoa que acabou de conhecer e que em menos de meia hora de conversa já virou o seu melhor amigo de infância. Mas eles são muito, MUITO educados e adoram conversar com quem vem de outro país, principalmente do Brasil, que para eles é um destino exótico! E assim, aos pouquinhos eles vão se abrindo. Tenho amizade com duas americanas mães de amigos do meu filho, de frequentar a casa delas e elas a minha. Nossos maridos se tornaram amigos e sempre rola um churrasco aqui em casa ou um hambúrguer na casa deles! Tem que ter a mente aberta, sem preconceitos!” (Juliana Fontes – Wixom, Michigan)

“Vejo os americanos como pessoas diferentes dos brasileiros. Não são calorosos e adoram uma convivência em grupo, mas não por isto são mal educados. Pelo contrário, são pessoas muito educadas, extremamente patriotas e preocupadas com o ambiente onde vivem. Minha opinião sobre os americanos quase não mudou em relação ao que eu achava antes de chegar aqui; continuo achando que eles são pessoas educadas e patriotas!” (Aline Milanez – Seattle, Washington)

“Cada canto do país tem suas particularidades. Vi muita diferença entre os americanos do Vale do Silício, das fazendas do midwest e de New York City, por exemplo. Vou dar a minha opinião sobre os americanos que tenho contato aqui na cidade onde moro. No geral, são extremamente educados e simpáticos. Se cruzarem o olhar com você, provavelmente te cumprimentarão ou darão um sorriso. Porém, não são tão fáceis de fazer amizade como nós, brasileiros. Como não conhecia o país antes de me mudar pra cá, não tinha uma opinião formada. Minha opinião sobre eles foi construída ao longo desses dois anos.” (Gabriela – Champaign, Illinois)

“Na minha opinião, os americanos são, de forma geral, gentis, independentes e, na maioria das vezes, sabem o que querem.” (Luciana Tooch – West Palm Beach, Florida)

“Antes de vir para os Estados Unidos, eu achava que os americanos eram preconceituosos e racistas, e eu morria de medo de vir pra cá. E não é nada disso! Vi que tudo é muito diferente. Meu marido fala que os Estados Unidos não é um país feito de americanos, mas sim de estrangeiros, de imigrantes. E isso é verdade! Então a minha opinião sobre os americanos mudou bastante. Eles se ajudam muito, mesmo que cada um viva em seu canto. Quando alguém precisa, sempre estão ali para ajudar. São pessoas preocupadas umas com as outras. Gosto bastante do jeito deles. Até agora não tive desgostos e não sofri qualquer tipo de preconceito.” (Simone Lanoue – Austin, Texas)

“Os americanos são super gentis e educados, e digamos que honestos (pelo menos ao que tudo indica), mas também são bastante individuais. Não gostam de muito “grude” igual os brasileiros. Sempre tive essa visão deles e depois que me mudei, só confirmei a minha opinião.” (Leide Veloso – Sunnyvale, California)

“Quando cheguei aqui, comecei a frequentar a igreja todos os domingos e fiz alguns amigos americanos, que sempre foram super atenciosos e abertos a amizade. Meu marido frequenta alguns “meet ups”, às vezes o acompanho e acabei fazendo amizade com pessoas do ciclo dele, na verdade a minha “bff” (“Best Friend Forever”) daqui conheci lá.” (Sabrina Costa – Las Vegas, Nevada)

“Eu gosto dos americanos. Não os acho frios, como muitos pensam. Acho que são diretos ao falar. Não tem rodeios, e ninguém se ofende. Você fica livre pra fazer alguma recusa sem se preocupar se vai ofender. Outro ponto positivo é que ninguém fala da vida de ninguém. Não se importam com o que você está vestindo, ou com o que você trabalha. Não fazem diferença pela sua aparência. Todos são tratados de forma igual.” (Rúbia Wakizaka – Lake Mary, Florida)

“Antes de vir para os EUA eu não tinha opinião sobre os americanos, mas agora que moro aqui, diria que, em geral, os americanos são educados e bastante trabalhadores. Minha única crítica talvez seja que, muitas vezes, o americano ‘típico’ tem pouco ou nenhum conhecimento do que acontece ao redor do mundo. É bem difícil encontrar um americano globalizado, que saiba sobre a cultura e história de outros países. Por exemplo, vários colegas de trabalho ficaram surpresos quando eu disse que morava em uma cidade tão grande como Chicago. Por algum motivo eles achavam que no Brasil as cidades não eram grandes. E eu não estou falando de pessoas que não estudaram; estou falando de pessoas que fizeram faculdade. Agora com as olimpíadas tudo o que falam é sobre a violência no Brasil, sujeira, zica e qualquer outra coisa que a TV ou jornais falarem. É um trabalho quase diário ter que explicar nossos problemas para eles e lembra-los que eles também têm sérios problemas. Não existe país perfeito, infelizmente.” (Stephanie – Houston, Texas)

“No Brasil, sempre ouvimos dizer que os americanos são frios, ‘na deles’, que não possuem o hábito de travar amizades… e um monte de besteiras. Sim, besteiras! Digo isso porque aqui encontrei pessoas bem mais receptivas que muitos brasileiros. É importante vir de coração aberto e respeitar o espaço do outro.

Ainda tenho poucos amigos americanos, mas eles são pessoas incríveis! Participam das nossas festas, interessam-se por nossa cultura, querem experimentar nossa comida (amaram nosso churrasco brasileiro!), estão dispostos a aprender a nossa língua. Retribuímos com o nosso respeito às suas tradições e costumes. Sim, amigo, você não pode vir para outro país e querer que tomo mundo dance samba com você, certo? Precisa aprender a falar mais baixo em público, precisa usar uma roupa mais comportada na piscina da cidade, precisa ter vontade de aprender a cozinhar a comida local também, precisa abrir a cabeça e o coração para o novo! Para exemplificar como os americanos são, vou contar algo que aconteceu comigo no último final de semana. Fizemos amizade com uma família americana que mora próximo à minha casa e, durante uma conversa, contei à ela que amo comer abobrinha. Pois, no domingo quando cheguei em casa, havia uma sacolinha pendurada na porta da frente com um recadinho super fofo e dentro um pão delicioso de… abobrinha, é claro! Ainda quente!” (Tatiana Romeiro – Bluffton, Ohio)

“Débora — No começo foi difícil porque é bem diferente daquele calor humano brasileiro, das pessoas se abraçarem bastante… Aqui eles mantém um certo espaço.

Rodrigo — Sim, você percebe até quando vai cumprimentar o americano e não tem aquela coisa de abraçar e beijar… Tem um certo limite.

Débora — Até em fila, quando você para, não para muito perto da pessoa. Mas depois me acostumei com isso, é parte da cultura deles mesmo. Acho os americanos um povo muito educado. Abrem a porta e seguram para a pessoa que está vindo atrás, agradecem, falam por favor e obrigado pra tudo, por qualquer coisa, então acho isso uma coisa bem legal.” (Débora e Rodrigo Magalhães – Wilmington, Delaware)

“Sou um pouco suspeita pra falar, mas acho os americanos bem educados. Não ficam esbarrando em você ou te empurrando em lugares como supermercados, sempre pedem licença para passar, falam por favor, agradecem, abrem ou seguram a porta de bancos, restaurantes… Outra coisa é que eles trabalham pra caramba! E são pontuais também.” (Cristiane Ross – Dallas, Texas)

Leia também: COMO FAZER AMIZADE COM AMERICANOS

americanos

Compartilhe

No Comments

Leave a Reply